Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, junho 12, 2008

OS MEDIA EM PORTUGAL E OS “ARGUMENTOS” DE SOCRATES



O 1º ministro, depois da manifestação de mais de 200.000 trabalhadores em Lisboa, irritado afirmou : "Não me impressiona os números.Impressiona os argumentos". São precisamente alguns desses argumentos que Sócrates se tem recusado a escutar, e a forma como têm sido tratados pela maioria (felizmente não todos) dos grandes orgãos de comunicação social que analiso neste estudo.



Espero que
ele possa ser útil.
Com consideração
Eugénio Rosa
Economista

Ler os argumentos

2 comentários:

Ricácum disse...

Isto não vai lá com manifs pacificas.
Senão repara, da CGTP eram mais de 200.000 e deu em que?
Foram ignorados!
Meia duzia de gatos pingados empresários, usaram a força, puseram logo o Sócrates em sentido.
Escusado será dizer quem vai pagar as benesses concedidas a esses empresários.

Coitados dos pequennos camionista que agora lamentam frustrados "pensávamos que isto era por causa dos combustiveis, mas afinal era só beneficios para os grandes"

Quantos aos 200.000, que continuem a marcar passo e Sócrates a assobiar para o lado continuará.

É a justica e politicos que este país tem.

Anónimo disse...

a revolucao dos cravos foi pacifica demais.os verbos de encher negociaram a posicao e la ficaram a infestar o lugar. quando uma casa esta contaminada,so com uma boa desinfecao se consegue acabar,ou pelo menos atrasar os microbios. as florestas arderam e continuam. era nos palacios de lisboa e poleiros regionais que devia haver fogo com toda a chusma la dentro. talvez assim se conseguisse uma boa desparazitacao e alguma coisa benefica para a nacao.