Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, julho 30, 2007

NOVOS USOS PARA COISAS VELHAS

Este objecto, que existia em todas as cozinhas dos nossos antepassados, chama-se saleiro e como o nome indica servia para guardar o sal. Perdeu a sua função e hoje ninguém guarda o sal em tais apetrechos. Restam então a este objecto, algumas funções para que não se perca. Uma, objecto decorativo. Duas, servir de lenha numa noite de inverno. Três, encontrar outra função e que a desempenhe de forma cabal. De todas prefiro a terceira. Hoje, trazemos sacos de plástico de todos os supermercados e a maior parte das vezes acabam andando de gaveta em gaveta atulhando tudo. O antigo saleiro é um óptimo guardador de sacos de super e nele estão sempre à mão. Prontos para usar. Descobrir novos usos para objectos em desuso é salvar a memória que eles encerram.


Torneio de Futebol de Verão

A Casa do Povo de Casegas vem por este meio convidar todos os interessados a participar em mais uma edição do seu Torneio de Verão de Futebol de 5, a decorrer nos dias 10, 11 e 12 de Agosto no polidesportivo de Casegas.

As inscrições são de 40€ caso a equipa seja constituída por 8 jogadores e 60€ se for constituída por 9 ou 10 jogadores.

As inscrições podem ser feitas através do 968345341 ou directamente na sede da CPC.

Os prémios consistem em taças para os 3 primeiros lugares. Poderão ainda existir outros prémios, estando isso dependente do número de equipas inscritas.

O regulamento pode ser consultado na sede da CPC ou enviado via e-mail após solicitação.

Com os melhores cumprimentos,
Casa do Povo de Casegas

Pequena nota - O dinheiro das inscrições será aplicado na compra dos prémios e material de apoio ao torneio (p.e. bolas). O restante será aplicado na manutenção do polidesportivo de Casegas.

DURANTE O TORNEIO HAVERÁ AINDA VENDA DE COMES E BEBES.

domingo, julho 29, 2007

Isto das caminhadas também tem que se lhe diga

Eis-me de volta depois de longa ausência. E tudo porque ontem alguém decidiu ir fazer festança lá para o lado da minha rica ribeirinha, forçando-me a despertar da minha pachorrenta hibernação.
Parece-me também que alguns no fim deste texto são capazes de desejar que eu continuasse a dormitar, mas sinto-me compelido a compartilhar connvosco algumas das descobertas que fiz assim que pela manhã decidi ir rever os cantos à aldeia, após demorada ausência.
Pois bem...

Caminhadas, passeios pedestres ou trekking, sem dúvida, actividades de ar livre e um desporto de natureza.

CONCORDO:
-Que é uma actividade que pode ser praticada em grupo e por pessoas de todas as idades.
-Que não requer conhecimentos de cartografia ou orientação quando se pratica acompanhado por alguém que conhece a área.
-É um bom anti-depressivo para combater o stress quotidiano.
-Permite o conhecimento e sensibilização do meio ambiente, promovendo a protecção da natureza.
-Que estimula a observação do meio natural e sua fauna e flora.
-Que fomenta a amizade e conhecimento cultural através das suas gentes, costumes e tradições.

Não sendo um praticante regular do “pedestrianismo”, algo que o ser humano outrora fazia diariamente para se deslocar de um lugar para outro, reconheço que mais que um desporto e actividade de ar livre, o desenvolvimento do hábito de realizar passeios a pé, pode constituir uma fonte de reabilitação e conservação de vias e caminhos e dos valores patrimoniais, culturais ou naturais, a eles associados.

As antigas vias de comunicação do meio rural constituem parte de um património que gradualmente vai desaparecendo em virtude de múltiplas causas (abandono, falta de uso, etc) . Estas vias podem adquirir actualmente um valor importante sob o ponto de vista de educação ambiental e as caminhadas agora transformadas em “moda” deviam ser precedidas de uma simples pergunta :
O QUE PODES OU NÃO DEVES FAZER PARA SALVAR A TERRA? MUITO CERTAMENTE.

ASSIM É QUE NÃO….

Quando hoje pela manhã, preocupado com a ferrugem que se acumulou nas minhas articulações durante este período de ausência, decidi fazer a minha caminhada obrigatória, dei comigo a calcorrear uma “pequena” parte do percurso da caminhada nocturna que ontem se realizou na Freguesia.

Encontrei um trilho sinalizado com 5 garrafas de água em plástico, 1 lata de Ice tea, 1 lata de cerveja, 1 garrafa de cerveja em vidro, 1 copo de iogurte de beber, 1 saco de plástico.
TUDO ESPALHADO AO LONGO DO CAMINHO.
PALAVRAS PARA QUÊ ?
É ESTA A “ARTE” RUPESTRE QUE QUEREMOS DEIXAR ÀS GERAÇÕES VINDOURAS ?

PORQUE NÃO TRANSFORMAR AS CAMINHADAS NUM DESAFIO ALICIANTE, COMO ACTIVIDADES EDUCATIVAS SOBRE O MEIO AMBIENTE E ECOLOGIA ?

SÓ CAMINHAR E ENCHER A “BARRIGUINHA”?
FRANCAMENTE É MUITO POUCO.

quinta-feira, julho 26, 2007

Fim de semana diferente em Casegas

Clique sobre o cartaz para aumentar








Este filme, foi recentemente adquirido pela C.Povo. Nele constam relatos preciosos de outrora. A não perder!

Toma lá cultura que é democrático!

quarta-feira, julho 25, 2007

Desabafo

Desânimo...
... por esta sociedade inerte, amorfa, inculta, vil, mesquinha, cruel.
Desânimo...
... pela falta de voluntariado, solidariedade, civismo.
Desânimo...
... pela mentira, desonestidade, falsidade.

Desânimo...
... por ver aquilo em que Casegas se tornou.

"Sons da terra" (continuação)



Tocándar (gostava de os ver em Casegas)e "Adufeiras do Paúl" (talvez venham a Casegas daqui a uns mesitos, têm um espetáculo engraçado...a Leonor é danada)



Gaiteirus

Relembramos...

Que este fim de semana decorrerá mais uma edição da Caminhada Nocturna. Em paralelo decorrerá ainda no Lameiro da Ribeira um pequeno Convívio/Festa com os habituais comes e bebes. além de muita música.
Clique sobre o cartaz para aumentar

terça-feira, julho 24, 2007

"Sons da terra", no Paúl. Muito bom!



"Campanitas de Toledo"

Os "Velha Gaiteira",à frente, com a participação especial do Victor Felix, um dos maiores e melhores construtores de Gaitas de Foles em Portugal.
Curiosidade para bloguista: o gaiteiro com cabelo, um dos responsáveis pelo projecto "Velha Gaiteira", é o Ricardo, filho da nossa vizinha Finadamina, do blog de S.Jorge a quem mando um grande abraço (quero ver-te cá no próximo fim de semana Delfina!!!).
Adorei o "Campanitas de Toledo" uma vez, tocado pelo Ricardo e por uma colega dele da escola de Gaitas, que ao virar-se me deu com a gaita na tola (ainda me deve uma musica por isso). Nesse dia andava por lá um miúdo muito castiço que tinha estudado em Miranda, ao qual achei imensa piada a cantar o "Campanitas de Toledo" em mirandês. Espectáculo!

Os "Velha Gaiteira", estarão em Casegas no próximo sábado, dia da pequena Caminhada Nocturna, nas comemorações do 1º aniversário do Núcleo de Caminhadas da Casa do Povo de Casegas, vai ser de arromba!
Alguém tem que trazer a musica popular tradicional portuguesa ás gentes de Casegas!
E é caso para dizer: "já não merecemos festa!!!"

sexta-feira, julho 20, 2007

"Que trazeis no regaço? -São amendoíns Senhor, são amendoíns...!

CARLOS PINTO E JOAQUIM MATIAS CONDENADOS

COM QUE ENTÃO SÃO SÓ AMENDOINS!

ESTE É OUTRO PROCESSO.

ESTE É DO TRIBUNAL DE CONTAS, POR RECLASSIFICAÇÕES/PROMOÇÕES

E CONTRATAÇÕES EM REGIME DE AVENÇA ILEGAIS.

NEM COM O DOSSIER DO PRIMEIRO SE SAFA. SE O TEM QUE O LEVE AO MINISTÉRIO PÚBLICO. "QUEM NÃO DEVE NÃO TEME" NEM ESCONDE DOSSIÊS, PARA QUÊ ?

AGORA JÁ SE ENTENDE PORQUE RAZÃO O MATIAS FOI "RECLASSIFICADO" PARA VEREADOR SEM PELOUROS E O MOTIVO PORQUE O PINTO ANDA TÃO NERVOSO E APAVORADO AO PONTO DE METER A "CÔCA" DO DOSSIER.

QUE NOS IRÁ RESERVAR O FUTURO?

O OUTRO PROCESSO DA IGAT ESTÁ EM MOVIMENTO.
ESPERAMOS RESPOSTAS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA COVILHÃ.

ESPERAMOS,TAMBÉM, QUE A IGAT CONCLUA A OUTRA PARTE DO PROCESSO, AQUELA ONDE EXISTEM ASPECTOS DE RELEVÂNCIA CRIMINAL, E QUE,POR AQUELE MOTIVO, AINDA NÃO FOI DIVULGADA, DE ACORDO COM O PARECER FINAL DA IGAT.



JULGAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DA COVILHÃ


Acórdão nº 2/2007 - 3ª SecçãoSentença recorrida

Sentença 3/2007 - 3ª Secção1ª Instância

Fonte: Vitor Reis Silva

ETNOLOGIA, Pequenas histórias de Casegas



Durante todo o ano, era necessário abastecer a casa de água, mas no verão, a água de beber, tornava-se absolutamente essencial. Para a ir buscar e manter fresca, usavam-se vários tipos de bilhas e cântaras. As mais comuns, eram estes dois tipos de cântaras que apresento. O de uma asa e o de duas que em geral tinha uma malga que se usava para tapar a boca e para beber. Estes dois tipos de cântara eram produzidos pelos oleiros do telhado. Em todas as casas de Casegas, da mais umilde à mais rica existia um movel, a cantareira, que servia para guardar estas cântaras da água. Estavam em algumas casas colocadas estratégicamente ao lado da porta da rua, ao fundo das escadas e uma malga de água não se negava a ninguém. Era um costume, os netos irem buscar àgua para as suas avós e água de beber ia-se buscar pela fresca. Ou de manhã, ou então depois do por do sol.
A terceira foto, é de uma cântara de trás de Serra e os oleiros também se deslocavam até casegas para vender as suas produções.A pasta cerâmica, é mais amarelada, enquanto que a do telhado é vermelha

quinta-feira, julho 19, 2007

Tal como prometido...

...cá estão as canoas da Casa do Povo!

Cintia e Mónica a estrear as canoas...

Estreia oficial...porque eu e o Egas já as tínhamos testado.
Eu saí logo porque aquilo só andava à roda...Ai que saudades da minha "Adamastora das Rebêras"...Já o Egas, mais persistente só saiu quando quando de repente de encontrou de cabeça para baixo, um autêntico "looping" devia de andar à procura do Zé Tó Calhondra que anda desaparecido! lol

terça-feira, julho 17, 2007

Serra de Estrela



Este "Serra de Estrela" anda perdido em Casegas. Andava hoje na zona da Eira, com uma pata coxa. Foi atrás do Tonho Amaro ("Braga").
Anda por lá também uma pequena cadela preta e castanha muito mansinha.
Se alguém souber de quem são ou queira adoptar...seria porreiro.

sexta-feira, julho 13, 2007

Zona de Caça de Casegas caducada

Portaria nº 740/2007, de 20 de Junho, dá conta da caducidade da zona de caça de Casegas, Covilhã, em virtude da Associação de Caçadores, Pescadores e Agricultores de Casegas não terem renovado o pedido da concessão daquela zona de caça ...

(clique para aumentar)
E isto é bom ou mau?

segunda-feira, julho 09, 2007

Festa de S.Pedro

Emanuel e Gisela com o seu espectáculo
Abrantes e Companhia

Só consegui aproveitar estas fotos, as outras não ficaram nada de jeito.
Abrantes se tiveres mais algumas, envia aí sff! Parece-me ver a tua esposa a tirar fotos nesta imagem.

quarta-feira, julho 04, 2007

Caminhada / campismo


Clique para aumentar.
Como repararam existe um pequeno lapso no programa do cartaz: é de facto "Julho" em vez de "Junho".Penso não ser grave. Cá os esperamos e vocês esperem por mais...vem ai caminhada com festa de arromba como forma de recepção aos nossos emigrantes avecs e camones!

terça-feira, julho 03, 2007

Parabéns Manjedoura

3 de Julho

O nosso Manjedoura é bébé!

Parabéns Manjedoura e que os dedos não te doam a teclar!

(se houver mais alguém a fazer, diga que isto agora é de empreitada lol )

segunda-feira, julho 02, 2007

domingo, julho 01, 2007

Ainda sobre a morte do Padre António


HOMENAGEM DUM GRUPO DE AMIGOS DO BATALHÃO DE CAÇADORES 2858 “ OS GARRAS” QUE NO SÁBADO DIA 30 DE JUNHO SE DESLOCOU A CASEGAS ONDE MANDOU CELEBRAR UMA MISSA PELA SUA ALMA E RUMOU DEPOIS AO CEMITÉRIO ONDE DEPÔS UMA LÁPIDE SOBRE A SUA CAMPA.

No final da Missa o amigo Pinto residente na Trofa lembrou o Padre António desta forma:

"Diz quem sabe que o nosso melhor património não é o dinheiro, nem os bens materiais, mas sim a Família e os amigos, quando eles são de facto verdadeiros amigos na acepção da palavra.
E porque assim é, estamos hoje todos mais pobres porque perdemos um pedaço do nosso património com a morte do querido amigo, Padre Carvalho. Para muitos era o Padre Carvalho, para outros um cidadão comum, para nós era o nosso Capelão e connosco integrou o Batalhão de Caçadores 2858 “ Os Garras”.

De uma ou outra forma, ele era um Amigo.
Um amigo muito especial que estava sempre disponível para ajudar com um sorriso, uma palavra amiga, um gesto, ou uma atitude que alegrava sempre os nossos corações e nos ajudava a resistir.
E foi por isso que chegou a ter problemas com os seus superiores hierárquicos, porque sempre estava ao lado dos mais desfavorecidos.

É por esta razão que aqui viemos, hoje, prestar esta simbólica homenagem a um Companheiro que durante 24 meses nos ajudou nos momentos mais difíceis a cumprir a nossa Missão, numa Guerra injusta, como ele muito bem dizia.

Sentimos e sabemos que o poder político vem ignorando cada vez mais aquilo que foi a nossa missão em terras do ex-Território Ultramarino Português, votando ao esquecimento os ex-combatentes.

Sinto e sei que estas breves palavras que aqui expresso com grande pesar, são insuficientes para descrever tudo o que me vai na alma sobre este nosso amigo. Ele merecia muito mais!

Os teus amigos, que hoje aqui te vieram homenagear pedem a Deus que descanses em paz e até amanhã António, porque um dia voltaremos a estar junto de ti."

Um abraço dos teus companheiros da C.C.S. Batalhão de Caçadores 2858