Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, janeiro 30, 2007

Lá se vai mais uma...



Foi uma espécie de tristeza misturada com nostalgia e revolta que senti ao observar esta barbárie cometida num dos edifícios da propriedade do Dr. Reis Brasil.

Aos anos que reparo na qualidade da construção e da pedra daquele edifício, que poderia ser restaurado. Não por os edifícios daquela propriedade, terem sido construídos pelo meu avô, se bem que tenha algum mérito na arte do assentar da pedra, entre muitas outras (até porque soube apenas hoje que tinham sido feitas por ele), mas porque era uma construção bonita e fácil de recuperar “rejuntando” apenas a pedra…

Disto já não se vê, alguém explique ou faça ver aos proprietários, o valor que tem aquela construção!

Não gostam como está o Karpinteiro? Então para que é a merda do chapisco?!

Vejam a casa do Ti Zé Brás, foi demolida e vai ter de ser construída de raiz…No seu lugar, irá certamente, nascer uma casa com pedra cortada à rebarbadora, mas isto porque a pedra era miúda e não dava para recuperar…do mal o menor, é o possível!

Seja iniciativa do Senhor Zé Felício, ou dos proprietários, alguém ilumine aquela gente, por favor…!

Já ouviram falar em turismo rural?

É caso para dizer: “Nosso Senhor só dá nozes a quem não tem dentes” ou ainda, “Quem não sabe não mexa, deixe estar!”.

Olhem, que Santa Teresinha me perdoe… Mexam na “pindrica”!

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Torneio de Jogos de Salão da CPC

(clique no cartaz para aumentar)

Organização: Casa do Povo de Casegas
Inscrições até dia 2 de Fevereiro às 24h:
  • Na sede da CPC
  • 938.153.758
  • 1 dominó por cada jogador sócio,
  • 2 dominós por cada jogador não sócio.
O calendário dos jogos será afixado dia 3 de Fevereiro, ao início da madrugada, na sede da CPC.
Regulamento brevemente disponível na sede da CPC.
Prémios a definir.

Jovem, junta-te a nós!

- Se tens entre 18 e 100 anos;

- Sejas do sexo masculino, feminino ou outro;

- Se gostas da Casa do Povo;

- Se só te cheira a gás do aquecimento quando há lenha, e quando não há, o aquecedor a gás já é fixe;

- Se gostas de queimar lenha aos molhes para ter o rabinho quentinho;

- Se queres vir passar duas horitas a arranjar lenha e na paródia;

- Ou se simplesmente queres dar uma ajuda em beneficio da associação no sentido de poupar gás…

Então, junta-te a nós! Vem alistar-te na C.Povo!

Traz a tua moto-serra, a roçadora e o teu tractor, que o meu pai dá a lenha!

Candidatem-se a umas entremeadas ou ao que der mais jeito na hora!

Não faltem!

No próximo sábado, dia 3 de Fevereiro de 2007-01-27, pelas 09h00.


PS: Espero que não deixem de vir passar o fim-de-semana a Casegas por causa disto hehe!

Inscrições gratuitas!

(Aiii!!!!!!É desta que me demitem por radicalismo!!)

domingo, janeiro 28, 2007

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Festa de fim de ano na Casa do Povo de Casegas

Desculpem o som, que não está nas melhores condições: o nosso cameraman decidiu ir filmar para cima dos musicos. Provavelmente também já não estaria nas melhores condições, pois a festa foi de arromba!

terça-feira, janeiro 23, 2007

EUREKA!!!!

Bloguista covilhanense descobre nascente de chocolate quente nas encostas da Serra de Estrela!
Será?



E isto, é a casa do guarda florestal?Cemitério? Será para inglês ver?
Errado, é o celeiro onde é guardado o mais puro cacau, selecionado com o maior rigor pelos nossos técnicos das ADC.


Isto será o bico da chaleira...Porque estará camuflado?
Era capaz de jurar que era...naaaa, não pode ser isso, impossivel!

O delicioso produto final...É servido?
Sugestão: Pode juntar leite!
Não se ria, pois caso não saiba, quase todas as ETARs do concelho, ou não funcionam ou funcionam mal como é o caso da NOSSA!
Leia mais sobre esta noticia no blog Estrela no seu melhor

segunda-feira, janeiro 22, 2007

uma "(des)aventura" na Covilhã...

Era uma vez...
Esta é a história do meu primo Quim Tó Chicken, que um dia destes decidiu ir experimentar a reputadíssima estância de Ski da Serra da Estrela. Divirtam-se com o relato que ele me fez, posteriormente, da sua "(des)aventura". Eh eh!!
(cliquem nas imagens para aumentar)
O VOO...
CHEGADA AO 'FUTURO' AEROPORTO INTERNACIONAL DA COVILHÃ...
A CAMINHO DA ESTRELA...
NA SERRA...

DE VOLTA A CASA... É mesmo caso para dizer: Covilhã no seu melhor!!

Ideia e Textos: Zé Tó Calhondra
Design: Egas
Agradecimentos: Estrela no seu melhor (pelas fotos), Aardman Animations (pelas galinhas), Egas (pelo trabalhinho de montar toda esta historieta), Doca do Tempo (este agradecimento é só para fazer divulgação ao blog do Egas, onde esta história está também "postada", e que foi um porreiraço em fazer-me o design disto).

Caminhada "Rota dos ganhões 2006"

Ai estas alminhas que ainda se perdem, agarram-se às fotografias e depois é assim...
Os "marrecos do Leonel"
Pois, nem tudo são rosas...
Pelo vapor deve estar quentinha não? Vai um mergulho?
Os meus compinchas também vieram e fartaram-se de fotografar!
Eu é que falhei não foi? Estava ocupado com a exposição de artesanato, desculpem!
Pode ser para a próxima os leve de Casegas até à Torre para compensar, juntamente com o primo Filipe (um abraço para a França Filipe). Só para avisar, que da última vez que fomos só os dois, íamos lá ficando no meio da chuva, eh! Ó Filipe, se não fosse o meu porta-chaves/bussola... ai ai! Mas o curioso é que voltamos sempre. Será masoquismo?
Não se assustem, faz-se, mas tem de ser muito nas calmas...
A Susete do Sobral, veio dar mais uma ajuda, desta vez com as gravuras.
Obrigado vizinha!
Um abraço para o Jaime no Canadá!
Agora é que custa...

Partida...largada...FUGIDA!!!!
Panorâmica previlegiada
Venha de lá o milho!

À descoberta da antiguidade...

sábado, janeiro 20, 2007

A triste realidade do aborto em Portugal

Por ano, milhares de mulheres portuguesas continuam a pedir um número de telefone clandestino para fazerem um aborto.

Cada vez maior número de mulheres vão a Espanha para interromper uma gravidez. Também a utilização de medicamentos abortivos, feita sem qualquer acompanhamento médico, tem vindo a aumentar.

Portugal é o segundo país da União Europeia com maior taxa de maternidade na adolescência. Em 2000, cerca de 7500 jovens portuguesas com menos de 19 anos foram mães. Segundo o Relatório Ganhos de Saúde em Portugal, publicado em Março de 2002, a gravidez na adolescência até aos 16 anos, faixa etária em que o nascimento de um filho não planeado pode acarretar maiores dificuldades, é preocupante, especialmente junto de minorias sociais que abandonam a escola.

O aborto clandestino e inseguro continua a ser praticado, com graves riscos para a saúde das mulheres. Não sendo possível, em termos estatísticos, visualizar a realidade do aborto clandestino em Portugal, existe, no entanto, um estudo realizado por três médicos: Carlos Matias, Isabel Marinho Falcão e José Falcão, que aponta para os 40 mil abortos ilegais por ano.

Outras estimativas (OMS - Organização Mundial de Saúde) apontam para um número inferior, cerca de 20 mil abortos por ano, legais e ilegais (20% dos nados-vivos), sendo que a esmagadora maioria são abortos ilegais, dado os limites impostos pela actual lei e as dificuldades e aplicá-la. Em Portugal, no ano 2000, praticaram-se 574 abortos legais. O último Inquérito Nacional de Fertilidade, de 1997, referia que 7% de todas as mulheres portuguesas em idade fértil já tinham abortado - umas 180 mil.

Um número crescente de mulheres vão abortar a Espanha. Em contacto telefónico com apenas 19 das 60 clínicas privadas que praticam a interrupção voluntária da gravidez, contabilizaram-se 3200 mulheres portuguesas que anualmente recorrerm a essas clínicas. Desde 1999 que triplicou o número de portuguesas atendidas nesses serviços.

A utilização de fármacos como o Cytotec, sem qualquer acompanhamento médico, torna-se uma realidade crescente em muitos bairros sociais, onde um comprimido, no "mercado negro", pode atingir os 30 a 60 contos. Dado que o recurso a uma parteira fica mais caro (80 a 100 contos), existe uma tendência para uma maior utilização deste tipo de medicamento, o que resulta em abortos mal acabados e entradas nas urgências dos hospitais por hemorragias não controladas.

Um estudo da Associação para o Planeamento da Família (APF) em oito bairros sociais das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto revelou que 30% das mulheres desses bairros já tinham abortado. A grande maioria apenas tinha feito um aborto, mas 18% tinha feito dois e 12% três ou mais abortos. Uma em cada cinco mulheres que tinham abortado referiram que tiveram complicações posteriores.

em www.euvotosim.org

sexta-feira, janeiro 19, 2007

Nova cara do Casegas Vai Nua

Como já devem ter reparado, o Casegas vai nua surgiu nos últimos tempos com cara renovada. A renovação veio na sequência de alguns erros verificados no template anterior que levaram ao desaparecimento do cabeçalho e de algumas funcionalidade. Mas eis-nos de volta com novo cabeçalho, outro template e mais opções.

Contudo, tudo isso terá sido em vão se não estiver à altura das exigências dos nossos visitantes.

É por isso que gostariamos que nos desse a sua opinião bem como sugestões que nos ajudem a melhorar o serviço providenciado.

Saudações Caseguenses.

Pensamento do dia

O Amor é como a relva !
Planta-se e ela cresce !
Vem uma vaca e estraga tudo !...

assinado : Pinto da Costa

(Enviado pelo nosso leitor António Gaspar)

terça-feira, janeiro 16, 2007

Correio do Leitor: recordar o "Ti" Horácio

RECORDANDO O "TI HORÁCIO"....

(Sempre a facturar...)

(1999?)
Fotos cedidas pela Marina
(clique nas fotos para aumentar)

Morreu o Ti Horácio da Casa do Povo

Morreu o Ti Horácio da Casa do Povo.

A notícia corre rápida numa manhã fria de Janeiro quando a Aldeia ainda dormia. Apenas uma ou outra chaminé deixa escapar o fumo da lenha que arde e aquece as casas ainda habitadas mas que vão já escasseando. Numa Terra onde há muito deixou de se celebrar a alegria do nascimento da vida, uma vez mais ecoa o som angustiante e triste do sino que anuncia mais uma morte.
Morreu o Ti Horácio da Casa do Povo
Morreu um Homem bom.
Há quinze dias foi o Zé Alves que abruptamente nos deixou. O amor à Terra trouxe-o de volta ao nosso convívio após longas décadas emigrado em França. Remexo nas minhas recordações de infância e recordo a alegria e mestria com que dirigia a “ junta de bois “ que lavravam as terras férteis do Favacal com bandos de “lavrandeiras” a banquetear-se de insectos e vermes que o arado ia revolvendo, ou puxavam pachorrentos mas enérgicos o carro que transportava as colheitas e que o chiar do eixo nos ajudava a localizar. Fervilhava então a minha Terra de gente e de vida que o chilrear dos pássaros musicavam. Deixou-nos também para sempre no primeiro dia do ano. Sentimos a tua falta.
Todos os anos a “Ponte” onde deixámos fluir os nossos mais íntimos e ambiciosos sonhos, mas que também liga a vida à morte é ponto de passagem para uma viagem sem regresso dos que para sempre nos vão deixando, e como Marguerite Yourcenar interrogo-me se “ ninguém ainda sabe que tudo apenas vive para morrer, ou se morre para renascer”.
Choro a morte do Ti Horácio com quem convivi nos últimos 30 anos.
Vivíamos então os primeiros anos da revolução de Abril e as ruas da minha Aldeia que se vinham então esvaziando num constante fluxo migratório, voltaram a animar-se com o regresso dos seus filhos que um dia viram interrompido o sonho Africano.
Com ele e outros, conheci a outra África que os manuais escolares não nos davam a conhecer e entendi a nostalgia que sentiam pela terra prometida.
Não resisto contar como foi a chegada do Horácio a Angola. No porto de Luanda aguardava-o o Nuno Vaz e no regresso à pensão após o desembarque avistaram uma moeda no chão que o Nuno mandou apanhar ao Horácio. Prontamente o Horácio responde-lhe: Então ainda agora cheguei e já queres que comece a trabalhar? Era certamente a moedinha da sorte, disse-mo um dia, pois jamais voltou a encontrar uma outra qualquer.
Prontamente ao chegar agarrou as oportunidades de trabalho que lhe surgiram e foi motorista de táxi e transporte público. Nas horas livres arroteou as terras de família já invadidas por giestas e urzes, donde retirava parte do sustento para a família. Reformou-se entretanto e perante a magreza da pensão arranjou trabalho no Bar da Casa do Povo e como condutor da carrinha do Centro Social. Na Casa do Povo soube merecer a amizade de gerações de jovens que choraram a sua morte tão prematura. Respeitou sempre as diferenças e foi acarinhado por isso. Norteou a vida pelos mais nobres valores, onde destaco a humildade e honestidade. A mesa , onde habilmente jogava cartas e dominó está agora amputada.
Que a tua alma descanse em paz Horácio. Os amigos jamais te esquecerão e deixo a minha homenagem e gratidão lembrando como disse Fernando Pessoa que “ morrer é apenas não ser visto. Morrer é a curva da estrada”

Casegas 16 de Janeiro de 2007

César Craveiro

quarta-feira, janeiro 10, 2007

Comunicado e Agradecimento

Solicita-se aos estimados atletas utentes das instalações e dos bens da Casa do Povo de Casegas a devolução dos equipamentos desportivos utilizados nas últimas competições, bem como das bolas de futebol de 5 adquiridas aquando do último Torneio de Verão. Na verdade, conhecem-se alguns dos esquecidos. Porém, até ver, não serão divulgados os nomes.

Gostaria ainda de aproveitar para, em nome da CPC, agradecer ao senhor JP, residente em Lisboa, a oferta duma sacada de bolas de matrecos ("daquelas boas"), tal como havia prometido na box-chat do Casegas Vai Nua. Passo a citar a sua frase:
"JP: Já que não houve concorrentes para adquirir "algum" para as novas bolas de matraquilhos, elas vão chegar à CPC brevemente. UM FELIZ ANO NOVO para todos os CASEGUENSES residentes e sobretudo ausentes do(...)"

Um abraço amigo e um muito obrigado da parte da CPC!

terça-feira, janeiro 09, 2007

11 de Fevereiro - Diga Sim à IVG

A partir de hoje, uma vez por semana, até dia 11 de Fevereiro, virei aqui ao Casegas vai nua apresentar alguns dos motivos para dizer sim à Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG).

Aproveito também para infomar que:

"O Grupo de cidadãos EM MOVIMENTO PELO SIM, Interrupção Voluntária da Gravidez – A Mulher decide, a Sociedade respeita, o Estado garante organiza na próxima sexta-feira, dia 12, pelas 21 horas, na Oriental de São Martinho, um debate com a presença de Natacha Amaro, membro de Direcção Nacional do MDM, inserida no programa de iniciativas promovidas pelo movimento.
EM MOVIMENTO PELO SIM é constituido por um conjunto de cidadãos, pelo Movimento de Utentes do Serviço Publico, pela CGTP e pelo MDM."

Dia 11 de Fevereiro diz SIM à Interrupção Voluntária da Gravidez

Porquê?
Porque:
  1. De um ponto de vista liberal, não se pode tolerar que o Estado imponha aos cidadãos um qualquer ponto de vista moral. Os cidadãos devem ser livres de agir de acordo com as suas consciências, enquanto a sua actuação não fizer diminuir a liberdade dos outros cidadãos. Não podemos admitir que o Estado imponha aos cidadãos o seu julgamento moral sobre o que se pode ou não pode fazer.
  2. O aborto é uma realidade lamentável mas inescapável. Embora seja triste que muitas mulheres efectuem abortos, essa é uma realidade que não podemos evitar. Podemos naturalmente tentar evitar o maior número possível de abortos individuais, mas devemos também procurar que os abortos que, de qualquer forma, serão praticados, o sejam nas melhores condições possíveis e com o menor sofrimento possível. Só a despenalização do aborto, dentro de um prazo realista (praticável), permite garantir que todas as mulheres que estejam firmemente determinadas a abortar o farão em condições seguras e não traumatizantes.
Eu VOTO SIM!! E tu?

Mais informações em:
EM MOVIMENTO PELO SIM!
IVG: A MULHER DECIDE, A SOCIEDADE RESPEITA, O ESTADO GARANTE

CURIOSIDADE...

UMA VERDADEIRA APAIXONADA POR CASEGAS!

Não resisiti..."Deliciem-se" também!Dá gosto ler...

http://os-olhos-da-alma.blogspot.com/2006/12/porque-serra-encerra-em-sieste-segredo.html

http://os-olhos-da-alma.blogspot.com/2006/12/serra-da-estrela.html

http://os-olhos-da-alma.blogspot.com/2006/12/era-uma-vez-na-serra-da-estrela_17.html

(Clicar nos links)

In:http://os-olhos-da-alma.blogspot.com/

Lembra-se da casa do Ti Zé Brás?

E por dentro?


Ouvi uns rumores acerca da construção de uma oficina-automóvel neste local, espero que o IPPAR não permita tamanha barbaridade!

Nesse altura é que era...a toque de "minis"


Esta taça de 2º lugar no torneio de silvares...ai ai...Desconfiámos ter sido trocada pela de 4º, até porque depois apareceram placas identificativas colocadas tortas de fresco..."caseiradas" tipicas por aquelas paragens...


Nessta altura era o Daniel do Zé Pnório à baliza eu e o Romeu à defesa (durissimos de roer, aínda se corria...) e o Gil Pjêro e o Tonito da Rata à frente, ambos exelentes criativos, se bem que o Pedro botas na altura também marcava muito golo...

Clique sobre as fotos para aumentar

Os ultimos guerreiros da terra batida...

Da esquerda para a direita em cima: César "cueca"; Romeu "cstiano";Zé Mário; Gabriel "Mguel" (na altura aínda tinha o bigode preto, logo aínda podia jogar); Tó Grilo e Ruben. Em baixo: Zé Brás "pirra" (ai se ele lê isto...antigamente atiravam-nos pedras e uma vez foi com uma cabeça de nabo no olho da minha irmâ Marina porque chamou "cassapo" ao Carlos, o mais velho); Tonito da Rata; Pedro "Botas ou Campaínhas"; Eu, moi, myself, (também apelidado na altura de Jaime Pacheco ou Jaimito e erradamente por "chota", uma vez que essa alcunha já tinha dono, perencia ao meu tio Alexandre, vizinho do Zé Mário) e ao fim o meu Irmão Pedro "Costa ou testinha".
Faltaria ali da altura, o Tó das Ladeiras "Biló" e o Carlitos "Sacristão", perdoem-me aqueles de quem não me lembro.

Penso que foi a ultima vez que uma equipa de futebol de 11 jogou no campo de futebol de 11, aínda eu era "guedalhudo" e conseguia correr atrás dos maus...
Terá sido acerca de 10 a 15 anos atrás, porém não me recordo de que jogo se tratava, se alguém puder lembrar...é só clicar no "urra aqui"

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Noite do Galo 2006

A àgua da Couvada

Uma pomada...aquece-se logo...
Bem boa!


Estava valente este ano...
Mas é preciso acendê-la, e para isso veio a brigada incendiária mais uma vez!
Troca que isto cansa!
Tem que se ir juntando...
Pena sermos poucos, porque a fogueira até estava forte...