Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, janeiro 31, 2008

Capela das almas. New Look.



Alquém me sabe explicar o que fizeram ao espetacular tecto dessa capela do estilo dos afrescos da Capela Sistina de Miguel Angelo?
Parece-me ter desaparecido!



Fotos roubadas no Casegas, minha terra

Iste é q éie amore!

Quase no fim de uma entrevista colectiva, um repórter fez a seguinte pergunta aos três políticos presentes:
- Senhores, se fossem solteiros, com quem os senhores gostariam de se casar ???

O primeiro a responder foi Santana Lopes:

- Eu casaria com a Soraya Chaves, a mulher mais bonita de Portugal!!!
Então, um bêbado, lá no fundo, batendo palmas, grita:
- Isso mesmo, muito bem, casou pela beleza, vale, muito bem !!!
Logo após, Cavaco Silva deu a sua resposta:
- Eu casar-me-ia com a minha actual esposa, pois eu amo-a e ela ama-me !!!
O bêbado, mais uma vez:
- Muito bem, tá certo, casou por amor, boa !!! Muito bem !!!
E então, o José Sócrates, demagogo como sempre, deu a sua resposta:
- Eu casaria com Portugal, meu coração pertence ao país !!!
O bêbado, mais eufórico que nunca, respondeu lá de trás:

- Sim senhor, muito bem, isso é que é um homem honrado: fodeu, tem que casar...!!!

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Cornudos voltam à carga (parte II)!

Pois é amiguinhos, desta vez as
vitimas foram os “marrecos” que Leonel Craveiro tem a amabilidade de trazer de vez em quando para o parque de lazer de Casegas para beneficio comum, sem quaisquer interesses. Mas pelos vistos quem exerce este tipo de voluntariado ou presta serviços sem qualquer interesse ou cobrança, tem de pagar a factura à empresa Cornudo&Filho-da-Puta Lda”.

Tinha o Leonel trazido mais um GANSO anteontem que foi amarrado com a uma corda durante três dias para que o bicho ali se ambientasse...era para ser soltado amanhã. O bovino desta vez marrou com as aves, resolveu cortar a corda e roubar o bicho!

Filhos da puta! Que par de cornos têm!

Queria dizer ao usurpador, besta, cabrão, cornudo por excelência, e outros nomes que não lhe chamo somente porque não me ocorrem de momento, que se não lhe assenta a classificação e adjectivação bem simpática que lhe atribuo(modéstia aparte), tem sempre a hipótese de reclamar junto à minha malcriadíssima pessoa, ou junto do Leonel Craveiro, que manda dizer a Vossa Ex.ª senhor ranhoso da subclasse em vias de expansão dos “bardamerdaseternamentecontratudoqmexe-ou-voa”, que caso pretenda mais aves, mais raras que a merda que o senhor é, lhe poupa o gamanço e “serviço”, pois tem mais em sua posse e terá todo o gosto em fornecer-lhas.

Sem mais de momento.

PS: Atenção que este post na sua essência, pretende realçar o calão e a linguagem

popular, o resto não existiu, estava só a brincar com os puritanos…mas a ave não está na ribeira e a corda está cortada! Deve ter sido impressão minha…!

Epah, Será que inventei esta história toda e estou louco? Tenho de ver disto! Não sei se me confesso se me interno no centro de saúde mental! Que baralhada!

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Procura-se cornudo




Pois é amiguinhos, cá estou eu de volta! Sim, Manjedoura, Rui Jorge Bernardo Costa, o presidente mais polémico da história da Casa do Povo de Casegas, chama nomes a anónimos e cornudos na Internet e os bois pelos nomes!

“O que foi desta vez?”

- É simples:

Misteriosamente entre a uma e as duas da manhã de Sexta para Sábado, passou um bovino com uns cornos tão grandes, tão grandes, mas tão grandes mesmo, que conseguiu arrancar dois cartazes com cerca de um metro que divulgavam o Carnaval na Casa do Povo, localizados um na vitrina do talho e outro na parede da casa do Ti Armando Gomes. É obra!

Quem avistar o bovino digno de entrar no Livro do Guiness com o recorde “O maior cornudo de sempre”, com um cartaz de nove folhas A4 de cores diferentes, pendurado em cada corno, é favor informar-me o contacto para que lhe seja feita a devida homenagem.
Não me queria deitar a adivinhar, mas um dos dois espécimes desta rara sub-raça de “bardamerdaseternamentecontratudoquemexe”, que passaram este fim-de-semana em Casegas, terá sido certamente.

Com uns cornos tão grandes é normal que doam na base junto à cabeça.

Citando Alberto João jardim dirigindo-se aos jornalista do continente, “a esses bastardos que é para não ter de os chamar filhos da puta” faço saber que já estou a imprimir novos, e se quiserem repetir o feito heróico, o padeiro desta vez tira fotografia.
Já T´xquim Bernardo, homem de sete ofícios e saber popular dizia:

“Quem pega com quem não bole, quer que lhe toquem no fole”

Não se admite! Esta direcção tem inclusive tido a sensibilidade de nem sequer afixar cartazes nos cafés, caso os eventos entrem notoriamente em concorrência com os estabelecimentos, pois achamos ser o mais correcto. Não vejo que incómodo pudessem causar a não ser aos cornos que ali rasparam.

É por estes e por outros marranços que já ninguém pára nesta terra.

Este post é pessoal e da minha inteira responsabilidade.

PS: O que estava na vitrine do talho antigo também não escapou à dor de corno do bicho que tanta ira lhe causa! Passei lá há pouco e também já foi rasgado!

Há gente que não presta mesmo!

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Sapo anda de mota


Um sapo na Tailândia está a atrair a atenção da imprensa ao mostrar habilidades motoras e de se divertir com brinquedos humanos, como pequenas motos e carros.
Nong Oui, um sapo fêmea, é capaz de se sentar numa motocicleta e de se equilibrar numa garrafa de água.
A dona no animal, Boonched Bumroongtai, 51 anos, encontrou o sapo há dez meses, após um período de seca na região de Pattaya, onde plantam arroz.
No início, o sapo foi alimentado com galinha e porco, mas hoje recebe ração apropriada.
Ela diz que Oui gosta de posar para fotos e faz propaganda em Pattaya do seu talento.
A mulher fala com Oui como com um bebé.

Assim também eu. O doente é que sofre!


CHCB continua a reduzir défice
Director do Pêro da Covilhã diz ter «orgulho» na capacidade de atracção de médicos internos

O Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB) reduziu o seu défice para cerca de quatro milhões de euros em 2007, perto de 50 por cento do valor do ano anterior e inferior ao de 2000.

O anúncio foi feito na semana passada pelo presidente do Conselho de Administração (CA), João Casteleiro, durante as comemorações do oitavo aniversário da instituição.

O director considerou 2007 um ano «decisivo e importante» para o CHCB, apesar de ter sido «polémico» em termos de reorganização do sector. «Com racionalização, estratégia e limitações conseguimos baixar o nosso défice sem perdermos qualidade no atendimento», garantiu.

«Começámos com 12 milhões de défice. Temos tido reduções na ordem dos 50 por cento nos dois últimos anos e, neste momento, situa-se entre três e quatro milhões, com a ressalva de que as contas de 2007 ainda não estão fechadas», adiantou João Casteleiro, à margem da cerimónia.

Ricardo Cordeiro - O Interior

Em resposta a a isto nada mais adequada que o post do Manjedoura para ilustrar como o senhor presidente do Conselho de administração baixa défices!
Senhor doutor, responda ao post do Manjedoura sff.
História (verídica) do Manjedoura aqui

Mais uma machadada ao bom estilo "Socialight".
A saúde no CHCB mede-se em euros!
Assim também eu administro...um corte daqui um coice de acolá e cá vamos andando com a cabeça entre as orelhas!



quarta-feira, janeiro 23, 2008

terça-feira, janeiro 22, 2008

Noticias da "captal"

!!!indivíduos habilitados com curso superior que não confira o grau de licenciatura....!!!(Técnico de História)_Castelo Branco

«É com muita estranheza que detectamos que continuam as originalidades regionais nos concursos, ditos públicos, para as autarquias.

Desta feita é, ou melhor foi, na Câmara Municipal de Castelo Branco, instituição cujo quadro técnico será, em breve, reforçado com um elemento na área da História. Até aqui tudo bem. É sempre bom verificar que os responsáveis pela gestão dos nossos municípios se apercebem das lacunas e das pobrezas técnicas e científicas dos nossos quadros de pessoal autárquico.

Não sabemos se, no caso da Câmara Municipal de Castelo Branco, terá sido assim. Talvez. Realmente se atendermos às áreas profissionais dos elementos do júri deste concurso onde há um jurista, um gestor, uma assistente social, um engenheiro e um chefe de divisão que sabe muito de finanças e de patrimónios municipais facilmente se regista a inexistência de qualquer quadro superior da área de História.

O concurso destina-se a «um estagiário com vista ao provimento de um lugar de técnico de 2º classe» sendo requisitos especiais «indivíduos habilitados com curso superior que não confira o grau de licenciatura, em área de formação adequada ao contudo funcional do lugar a prover (Técnico de História).» Lemos bem? Sim: TÉCNICO DE HISTÓRIA. Estamos perante uma solicitação muito peculiar pretendendo-se – repetimos- alguém com «um curso superior que não configura o grau de licenciatura» para trabalhar como Técnico de História. Engraçado, não sabíamos que agora havia cursos superiores que não licenciaturas, de História.

O que se aprende com a leitura destes avisos! Em que Universidade ou Politécnico é que se atribui essa nova ‘especialização”? Por outro lado também não deixará de ser curioso o seguinte facto: a classificação - Técnico de História - profissional - não existe ou está algures escondida. Consultem a listagem das carreiras técnicas. Há lá técnicos de tudo e de mais alguma coisa, de História é que não há. Logo este concurso é para uma coisa que não está legislado e não existe. É uma ilusão funcional. Ou não será assim?


Mas há mais neste curioso e tão oportuno concurso para um técnico de História de 2ª classe não licenciado. Por exemplo, o que se pede para a prova oral de conhecimentos específicos a serem avaliados pelo júri onde, como vimos, não há ninguém ligado a estes assuntos da História. Referem-se na bibliografia nada mais, nada menos do que 25 títulos, mais a 1º série da Revista “Estudos de Castelo Branco” (são centenas de títulos) e mais umas quantas coisitas. Enfim… Dá só para aí (e são contas pelo alto) umas dezenas de milhar de páginas. Que desafio digno de Hércules historiográfico! E se algum candidato resolver levar os livros todos para o exame oral? Não chega uma estante e necessitará da ajuda da senhora recepcionista para transportar o saber livresco para a prova oral. Quem será o candidato ou a candidata que vai ler todas estas obras decerto já muito lidas, relidas e sabidas por todos os elementos do Júri.»

(in mafia da cova)

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Carnaval na Casa do Povo

Dia 4 e 5 de Fevereiro iremos festejar o Carnaval na Casa do Povo como é tradição.
Na noite de segunda para terça, realizar-se-á o desfile de mascarados. O baile, a animação, petiscos e paródia, continuarão no dia seguinte para todos os foliões!
Para eleição dos melhores mascarados, dar-se-á preferência aos disfarces fabricados artesanalmente e/ou caracterização/maquilhagem.
Os prémios são surpresa, mas devido ao grau de exigência deste ano, em principio o valor dos prémios também irá aumentar.

Inscrições até dia 4 antes do desfile.
Aos concorrentes desejamos boas criações!


"Quem vai para o mar, avia-se em terra" parece ser o lema do CHCB!




Um episódio (de muitos), no mínimo insólito no CHCB.

Para não citar nomes, vamos chamar as utentes em questão por Manuela Penca Roxa, Joaquina Frieiras, Felizberta Bate o Dente e Zulmira Desenrasca e Arreganha.

Estas quatro utentes encontram-se hospedadas na estância hospitalar de luxo da Cova da Beira, onde se quer fazer passar a imagem de que tudo está bem, chegando ao ponto de ignorar os pedidos do livro de reclamações aos utentes, já que os profissionais que ali laboram não podem fazer, pois já sabem o que os espera...Mas sussurram pelos corredores “tá aqui um gelo neste 3º Piso”.

Manuela Penca Roxa que tocava trompa todo o dia, pois a máscara de oxigénio, era desajustada e o solfejo desafinado era inevitável. Hoje já lá não estava, ou teve alta ou já passou para a refrigeração definitiva ou quiçá foi tocar trompa para fanfarra dos anjinhos. Sempre disse que aquela mulher havia de ser música de futuro!

A dona Joaquina Frieiras esta na passiva coitada…as grandes dores são mudas! Uma paz de alma! Pacata, não se queixava de nada por mais frios que tivesse os pés!

Felizberta Bate o Dente teve mais sorte, houve uma alma com o termómetro biológico em funcionamento que lhe trouxe aquecedor de casa e lá se safou durante o resto da estadia de luxo. Menos sorte teve com a àgua, pois Felizberta também é unsuficiente renal e...tens àgua especifica recomendada? Se não queres da torneira traz de casa!

Por fim, a desconcertante Zulmira Desenrasca e Arreganha, recém chegada, mulher de fibra!
Esta é que veio entornar o caldo todo!
Mais uma com problemas respiratórios…pouca sorte! Mas a pouca sorte de Zulmira não fica por aqui…Como se não bastasse os problemas de saúde, os ventiladores também estavam esgotados, uma espécie de maquineta que lhe aspira o dióxido de carbono dos pulmões. Teve de mandar trazer um de casa com os respectivos filtros (carissimos) e o imprescindível aquecedor claro, importantíssimo, que um familiar prontamente providenciou no Hipermercado e trouxe à estância de luxo juntamente com a televisão!

Mas Zulmira Desenrasca e Arreganha, batuta nestas andanças, não se ficou! E fez muito bem! Andou três dias a pedir o livro de reclamações, três dias lho recusaram e três dias lhe disseram incrédulos “ainda não o trouxeram?!”. Pediu-me auxilio. Estava frio, não a deixavam reclamar. Parece mal sabem, uma estância tão (aparentemente) luxuosa numa cidade de industriais de lanifícios, onde toda a gente veste bem! Num país tão desenvolvido…reclamar ali? Nem pensar! Reclamem pó boneco!

Naquele momento o que senti foi revolta e antes de rebentar, deixei-me estar por ali mais um pouco a ouvir lamentos e lá acalmei um pouco. Acabou a hora da visita, toca a andar! Deixei-lhe a promessa de lhe fazer chegar o malfadado livro!

Ainda tentei saber o que se estava a passar junto de uma simpática profissional de enfermagem, mas depois…naaa, isto assim não vai lá! Os profissionais que ali labutavam, também se lamentavam, mas a arrogância é tanta que ninguém os ouve! Dirigi-me ao discreto gabinete do utente, situado no piso 0 onde se encontravam um jovem e uma senhora, questionei-os acerca do sucedido ao que me responderam “não tomámos conhecimento, aqui não chegou nada”. E eu cá com os meus botões “mau, alguém aqui anda a aldrabar”. Bem, mas tinha de resolver o assunto de alguma maneira e uma promessa a cumprir.

Então, para ver o fundo ao tacho, resolvi fazer o seguinte trato com os senhores:

- Fazemos assim, eu peço-lhes que levem logo que possam o livro de reclamações à senhora e amanhã volto cá. Se amanhã a senhora me voltar a dizer que lhe recusam o livro de reclamações, eu volto aqui e reclamo eu de quem não der encaminhamento à situação. E ficou assim combinado.

Voltei no dia seguinte, a dona Zulmira Desenrasca e Arreganha estava mais animada!
Já a tinham deixado reclamar! Veio também um senhor, daqueles que mandam mais, feito salvador da pátria porque deve ter ouvido trovões, dizer que lhe pagavam o aquecedor e que a situação iria ser resolvida (como se não estivesse já assim há anos! O brincalhão!). O senhor parecia furioso com toda a gente, como se afinal as ordens não emanassem de cima e os coitados dos médicos, enfermeiros e auxiliares que também batem dente naquele piso, não andassem ali a cumprir ordens da administração. Enfim...o vulgo “sacudir o capote”, parece bem, dá um ar de competência!
Em relação ao ventilador, até ver, parece que ainda não há novidades! Afinal estamos no país dos desenrascas!
E lá ficou Dona Zulmira Desenrasca e Arreganha mais animadita ligada aos seus tubos! As ultimas palavras que me dirigiu a sorrir foram “olhe ali- apontando para a cabeceira da cama- os tubos atados com uma baraça! Só visto!”. Encolhi os ombros e comentei “isto é incrível!”. Sorri, desejei-lhe as melhoras e vim embora.
E assim acabou a minha aventura na estância de luxo da Cova da Beira


Moral da história: quando temos razão e não nos calamos, somos recompensados. Afinal é o nosso dinheiro que gastam e o hospital não é o mar!

As melhoras "Zulmira", para os pulmões claro, pois da cabeça, tomara que todos andassem como a senhora! Ganda Mulher!




terça-feira, janeiro 15, 2008

Viva!!!

Em Lisboa , um menino regressa da escola cansado e faminto e pergunta à
mãe:

-"Mamã, que há de comer?"

-"Nada, meu filho."

O menino olha para o papagaio, que têm na gaiola, e pergunta:

-"Mamã, porque não há papagaio com arroz?"

-"Porque não há arroz."

-"E papagaio no forno?"

-"Não há gás."

-"E papagaio no grelhador eléctrico?"

-"Não há electricidade."

-"E papagaio frito?"

-"Não há azeite."

E o papagaio contentíssimo gritava: -"VIVA SÓCRATES !!! VIVA SÓCRATES !!!"

sexta-feira, janeiro 11, 2008

Força Homens da luta!

Mário Lino=OTA(rio)...engole!







in Mafia da Cova

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DEMAGOGISMO

NB: Por pensarmos que continua actual, republicamos aqui apenas parte do artigo de opinião por nós escrito em 17 de Junho de 2005, publicitado no nosso antigo blog com o título “A Administração Pública, o Demagogismo e a Reforma do Notariado” .

“Instalou-se na mente de muitos portugueses a ideia de que os funcionários públicos pouco ou nada fazem. Em parte verdadeira, esta conotação depreciativa, porque associada à ideia de parasitismo, contém, no entanto, em si alguma deturpação, e que não sendo de todo ideia ingénua, corre nos dias de hoje no subconsciente ou mesmo consciente colectivo do povo português, trazendo consigo consequências nefastas para os agentes públicos que sempre exerceram e continuam a pautar a sua acção pela seriedade, imparcialidade e rigor. Na nossa perspectiva, trata-se de pensamento demasiado excessivo, e que por ser em tudo generalizante é torpe e está viciado.”
Este ideário negativo, que vem do antigamente na vida, hoje realçado e prenhe de actualidade, consciente ou inconscientemente continua a ser inculcado na mente de muitos portugueses. E dizíamos também nós no referido artigo que, reconhecendo, embora, a muita incompetência e preguiça na nossa administração, e que não deixava de existir também no sector privado, havia também muitos e bons profissionais na nossa administração pública. Mas num tempo em que repetidamente e de modo obstinado os nossos políticos e os meios de comunicação de modo amplificado tanto falam do nosso défice, do desequilíbrio das nossas finanças públicas, não é por acaso que a ideia aflorativa do parasitismo inerente aos agentes da administração, surja nos tempos de hoje com maior relevância e acutilância. Consequência das problemáticas que a sociedade portuguesa actualmente atravessa, o dito parasitismo, em vez de ter sido solvido em tempo “de vacas gordas”, tenta agora resolver-se em tempos economicamente conturbados.
Embora, admitindo responsabilidades próprias que não deixam de caber a alguns dos agentes públicos, “o Estado, com as alternâncias políticas que nos últimos anos se tem verificado a nível da governação, terá concerteza responsabilidades primeiras e acrescidas. Exigindo-se um rumo para a administração que consubstanciasse uma dinâmica transformadora, o Estado não fez, em tempo útil, como deveria, as reformas que naturalmente se impunham. Pela falta de coordenação e de fiscalização dos serviços da administração, pelo absentismo e deficiente qualificação de muitos quadros dos nossos serviços, pelo laxismo da sua admissão, pela pouca eficácia e eficiência dos mesmos e pela falta de um sistema integrado de informatização só podemos responsabilizar, é claro, a governação do país.” Sendo essencial a formação e qualificação dos quadros da administração, realçamos, a título de exemplo, o facto de nunca se ter propiciado formação aos oficiais do registo, e de se terem feito admissões inadmissíveis.
Referindo-nos, ainda, ao dito ócio vivido no seio da administração, realçámos o desconforto e mesmo a angústia sentidos por parte de muitos dos nossos agentes, por terem a consciência de que o apregoado parasitismo é por vezes resultado de pura demagogia política populista que, incapaz de pensar e fazer atempadamente as reformas que sei impunham, “atira agora pedras, distraindo assim os cidadãos dos reais problemas da nossa administração. No fundo todo este jogo, com tanto fogo de artifício, apenas parece ter por finalidade, não uma ideia regeneradora ou de concertação, mas a de provocar o desmoronamento do edifício jurídico-administrativo do Estado e de esconder as reais responsabilidades que o Estado tem para com a administração e os funcionários. As “generosidades ” oferecidas aos seus agentes em algumas das governações, parecem agora dádivas envenenadas.
Se havia e continua a haver problemas relacionados com a deficiente ou pouca produtividade dos seus agentes, porque lhes aumentaram as férias de 22 para 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, etc. dias?
Isto não é demagogia?

29 de Outubro de 2006.

Resta perguntar também agora em Janeiro de 2008: Afinal, porque nos quiseram bafejar com dois dias de tolerância de ponto no final do mês de Dezembro? Não bastaria a tolerância do dia 24?


J.C. Pacheco Alves in Blog Reginot

quinta-feira, janeiro 10, 2008

Cartas do primo Jumento

Manjedoura! Já tens aqui um comparsa!

O meu primo Jumento também apanhou a dos disticos!


Caro Professor Teixeira dos Santos
Ministro das Finanças e da Administração Pública

Apesar de fumar apoio a decisão de proibir o fumo em recintos fechados, medida que defendi aqui ainda antes do seu governo ter reparado que isso era regra noutros países. Até lhe elogio a coragem pois vai ter que prescindir de muitas receitas fiscais e, ainda por cima, vai ter que pagar pensões e despesas de saúde por mais tempo aos que graças a esta decisão vão “bater as botas” mais tarde e de forma mais penalizadora para o SNS por terem deixado de fumar ou optado por não fumar graças a esta medida. Como sabe os fumadores morrem mais cedo e de forma mais simples do que os não fumadores.

Comido o bolo-rei, mesmo sendo algarvio tive o cuidado de não muito encher a boca para evitar que as bochechas se assemelhassem a uma betoneira evitando ainda o risco de me ficar atravessada alguma fava na goela, fui para o trabalho convencido de que teria de fazer um pequeno sacrifício, mesmo que de vez em quando tivesse que me dirigir a alguma sala de chuto para aliviar a síndrome da abstinência.

Só que quando cheguei à porta do serviço fui confrontado com a proibição de entrar, o autocolante oficial lá colocado diz expressamente “Não fumadores”. Ora, se estou no pleno domínio das minhas capacidades, algo que neste país começa a ser difícil, por “não fumador” entende-se aquele que não fuma e não o que está a fumar. Eu sou fumador, isto é, alguém que fuma, sou-o quando acendo um cigarro da mesma forma que o sou quando não estou agarrado ao instrumento do vício.

Não é fumar que está proibido, o que se proibiu foi a entrada de fumadores, o que é o meu caso. Assim, não me resta outra alternativa senão vir solicitar-lhe que mude o meu local de trabalho para um sítio que não esteja vedado à minha presença, bem como a aquisição de equipamento adequado à instalação do meu gabinete num espaço ao ar livre. Bom, bom seria ir trabalhar para um dos salões do Casino Estoril mas ninguém me convidou nem Vexa estaria disposto a pagar a despesa.

Tendo em consideração as várias possibilidades permito-me sugerir-lhe que me coloque no Terreiro do Paço, junto à estátua de D. José. Para além de ser um local suficientemente arejado para que as minhas baforadas não lhe prejudiquem a inspiração, algo que ainda não perdi a esperança de o ver dar mostras de que a possui, fico em boa companhia. Passados dois anos a aturar governantes pouco dados ao diálogo a companhia do cavalo do D. José permitir-me-á ter alguns momentos de cavaqueira, pois estou convencido que o conhecido equídeo sabe mais de Administração Pública do que muitos dos que ocuparam o seu gabinete. Além disso, como é de bronze produz menos bostas que outros equídeos que costumam frequentar o Terreiro do Paço.
Com os melhores cumprimentos.

O Jumento

lol

quarta-feira, janeiro 09, 2008

2ª Piada do dia

O nosso 1º Hoje acordou muito bem disposto. Leram a piada do post anterior?
Então aí vai uma mais fresquinha!

No debate parlamentar acerca de 30 minutos, Sócrates para Portas:
-Ó Senhor deputado, eu não tenho medo do povo nem de levar o tratado a referendo!!!

lol

Bem, este tipo ainda consegue ser mais demagogo que o Portas! O que é obra!

Diz que é uma espécie de ditadura modernizada!


Noticia do dia
Em Fevereiro de 2005, os socialistas, liderados por José Sócrates, venceram, pela primeira vez, em Portugal, as eleições legislativas com maioria absoluta e assumiram como compromisso programático a realização de um referendo ao então Tratado Constitucional da UE.
José Sócrates, que hoje vai propor a ratificação em Portugal do novo Tratado da UE por via parlamentar, apenas se afastou da defesa do referendo depois dos resultados negativos das consultas populares à Constituição Europeia em França e na Holanda.

«Nenhuma razão impede que o Tratado Europeu seja sufragado pelos portugueses, em simultâneo com as eleições autárquicas»
(José Sócrates, 12 de Março de 2005)

Piada do dia:
- Então senhor 1º Ministro, disse que ia haver referendo ao Tratado europeu, e agora nada?
- Ah e tal, mas agora já não se chama assim!

Senhor Sócrates, sabemos que há quem chore de alegria. Mas não acha que querer que riamos de tristeza, é assim um bocadito a abusar?


Mentiroso!!!Toma lá os resultados do Casegas Vai Nua!
Bom proveito!

Sim, deve haver um referendo e esclarecimento (21) 45%


Estou pouco esclarecido, não há muita informação (14) 30%
Não, que decidam por mim (11) 23%
Não me interessa. A Europa não tem servido a Portugal (1) 2%

terça-feira, janeiro 08, 2008

Emigrem!

As palavras não são nossas, mas de um grande jornalista, Fernando Paulouro das Neves, também director do GRANDE Jornal do Fundão, e onde escrevem também outros jornalistas e escritores como Batista-Bastos e Arnaldo Saraiva. E valerá a pena, pensamos, citar aqui a sua crónica, publicitada no jornal de 3 de Janeiro, pela referência que se faz ao cosmético momento actual, ao fascismo travestido ou higiénico como refere Pacheco Pereira. Num momento em que era importante reforçar a capacidade crítica e construtiva dos cidadãos, a cidadania, constatamos, no entanto, que mesmo em sectores importantes da administração, viçosamente medram ervas daninhas. O universo policiesco está em crescimento.

«Há na narrativa da actualidade política uma cosmética que tende a transformar a realidade numa fantasia. A televisão, por via do charme da imagem, dá amplidão a essa simbiose de informação e propaganda, às vezes misturadas com sangue e lágrimas de todas as latitudes, numa selecção da realidade que introduz abundantes angústias para o jantar. Mas se estivermos atentos, o saldo global sobre a informação política (na generalidade dos meios de comunicação) gira no sentido de criar a ilusão de um paraíso onde, afinal de contas, tudo está bem ou bem melhor do que nós, pobres habitantes do país relativo, mereceríamos. Desfilam, alegres e contentes, pelos ecrãs, dando razão à perplexidade de Umberto Eco quando um dia perguntou a si próprio por que razão estes sujeitos do universo político e afim riem tanto na gaiola doirada que é a televisão. O outro não disse que, se quisesse, vendia lá um presidente da República.

Quer isto dizer que o cidadão comum está cada vez mais desarmado e refém dessa contingência que é o mimetismo entre a política e o espectáculo. A capacidade crítica de cada um teria assim um papel crucial na separação do trigo e do joio e no apuro da semente da própria democracia. Só que a cultura democrática, como exigência cívica, está em crise, os medos vieram para ficar na sociedade portuguesa – Pacheco Pereira caracterizava esta semana o tempo português como “fascismo higiénico”. É, também, por essas debilidades culturais, que a arrogância cresce impune em todos os patamares do poder, do mais alto ao mais baixo, como se os portugueses fossem, agora, meros súbditos, com carne apenas de obedecer.
Ainda esta semana, o chefe da Asae, impondo retoricamente o universo policiesco do seu departamento, dizia numa entrevista a um semanário que, se não quisermos viver numa sociedade assim configurada, “podemos sempre emigrar” … Esta arrogância vale por mil regulamentos. E é, porventura, afloramento do tal “fascismo higiénico” que é o calendário dos novos tempos modernos. Herdeiros do célebre “ come e cala” salazarista, órfãos do “paizinho autoritário”, como diria Jorge de Sena, sorrimos à canga, ao vexame, e fingimos que está tudo bem, que o xico-espertismo é, afinal, um dom que os deuses abençoaram os cidadãos acima de qualquer suspeita.»

Fernando Paulouro Neves, Jornal do Fundão de 3 de Janeiro.

(in Reginot)

Fumadores autorizados a entrar na Casa do Povo

Dizer aos sócios ou não sócios que frequentam a associação e governo, que tal como suspeitava e vinha dizendo a esta parte, que a aplicabilidade da lei, não se verifica em colectividades como nos estabelecimentos comerciais. Afinal em nossa casa mandamos nós, a assembleia legisla e a direcção decide, ou seja, "governo não risca!".
De qualquer modo, é aconselhável a associação, visto o bar ser aberto ao publico
optar-se pela opção de não fumadores por enquanto...

Em relação à Lei do tabaco, tenho a dizer aos sócios e outros:

O senão disto tudo é a ligeireza, irresponsabilidade e fundamentalismo com que este governo aplica as coisas...
- Sabe quando custa um sistema de extracção eficaz que garanta a qualidade do ar?
- O que se entende por qualidade do ar?
Pois é, eu como sou muito ingenheiro até sei(€€€€€€)! - É comprar um sistema de ar condicionado novo que lhe faça a compensação do ventilador de extracção de fumos e temperetura (prepare-se para a conta da luz), e os capangas, cambada de parasitas ignorantes da ASAE/DGS (Que andava a vacinar ovelhas há 2 dias), vir de seguida, autuar o pessoal, porque eles entendem que o ar não é de qualidade porque lhes apetece, uma vez que a legislação é mais uma vez omissa e tratada com ligeireza.
- Quem paga? O comerciante que fez o investimento, muitas das vezes a gastar o que não pode nem ganha num ano, endividando-se nas finanças e segurança social, só poruque estes camelos decidem gozar com a carteira das pessoas.

Reparem: ENTÃO AGORA FUMADORES (VEJA O DISTICO), NÃO PODEM
ENTRAR OU ESTAR???
Das duas uma, ou só posso contratar pessoal não fumador, ou os trogloditas capangas da ASAE/DGS vão ter de me deixar fazer um restaurante no meio do Pelourinho ao ar livre! Em que ficamos?
NA CPC PODEM ENTRAR!!!
Isto só num circo é aceitável! É uma comédia!

Abaixo exibo a lei da sinaléctica

Artigo 6.º - Sinalização


1 — A interdição ou o condicionamento de fumar no interior dos locais referidos nos artigos 4.° e 5.º devem ser assinalados pelas respectivas entidades competentes, mediante a afixação de dísticos com fundo vermelho, conformes ao modelo A constante do anexo I da presente lei e que dela faz parte integrante, sendo o traço, incluindo a legenda e a cruz, a branco e com as dimensões mínimas de 160 mm x 55 mm.

2 — As áreas onde é permitido fumar são identificadas mediante afixação de dísticos com fundo azul e com as restantes características indicadas no número anterior, conformes ao modelo B constante do anexo I.

3 — Aos dísticos referenciados nos números anteriores deve apor -se, na parte inferior do modelo, uma legenda identificando a presente lei.

4 — O dístico referido no n.º 1 deve ainda conter o montante da coima máxima aplicável aos fumadores que violem a proibição de fumar.

5 — Nos casos previstos nos n.os 6, 7 e 8 do artigo anterior, os dísticos devem ser afixados de forma a serem visíveis a partir do exterior dos estabelecimentos.

Quem ganha com este desmancha e faz desmancha e faz desmancha e faz!
Ele é remodelações completas de dezenas de milhar de euros, ele é plantas da implantação de establecimentos para os meninos do urbaniosmo, ele é sistemas de extracção á toa...Uma festa!Haja dinheiro!
Olhem! Um apelo a todos: VÃO ROUBAR para manter esta corja!

Eu não tenho muitos estudos, mas vão passar atestados de estupidez ao vosso paizinho!

segunda-feira, janeiro 07, 2008

Montaria em Casegas. Dezembro de 2007

Menu: Pequeno almoço de Carnes frias e ovos mexidos com alheira
Almoço: Sopa de Arião com ovo, "Chanfana como deve de ser" acompanhada com esparregado e batata cozida com pele.
Sobremesa: Salada de Fruta e Queijo da Serra
Preço: 7€ para ajudar a malta! Eu ponho a mão de obra senão era o dobro hehe(desta vez)!

Deixa-me cá tapar isto que estes fornos não se confessam...

Foi só uma, mas era grande! Á volta duns 80kg


Não ficou em Casegas, mas em casa duma caseguênse, da Ilda Serrão em Silvares, foi o marido dela que melhor apontou!

Ficou toda a gente satisfeita! Mesmo os que estavam habituados a comer Chiba guisada!
Confesso que não sou muito apologista deste tipo de desporto, mas convenhamos que esta bicharada na nossa zona é uma praga e o agricultor agradece!
Dizem que para Fevereiro há mais, porque apesar da praga estes pichotes só apanharam 1 e vão voltar à carga!


Momentos relax

Conversa entre ministros.
Numa reunião com o Presidente da Suiça, o primeiro-ministro português apresenta-lhe os seus ministros:
-Este é o ministro da Saúde, este é o ministro dos Negócios Estrangeiros, esta é a ministra da Educação,

este é o ministro da Justiça, este é o ministro das Finanças, etc.
Depois é a vez do Presidente da Suiça:

- Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro dos Desportos, este é o da Educação, este o da Marinha...
É quando, com ar emproado, José Sócrates começa a rir:
- Ha! Ha! Ha!.... Para que é que vocês têm um Ministro da Marinha se o vosso País não tem mar?
O Presidente da Suiça põe uma expressão indignada e responde:
- Não seja inpertinente. Quando você apresentou os seus ministros da Educação, da Justiça e da Saúde, eu não ri.

Festa de FIm de ano à moda antiga na CPC

A habitual comunidade emigrante da Suíça, Alemanha e Luxemburgo não falha nesta quadra
Olha que dois...
A sala, mais uma vez estava composta. Mais uma aposta ganha!
DJ Zé Vivo veio directamente de França para nos ajudar a fazer festa rija à moda antiga.
Obrigado Zé! Um abraço para frança! Olha aí a entornares a mini pó teclado pá!
Não é visivel, mas havia "neve artificial" espalhada no chão que apesar de ter dado trabalheira a limpar foi um sucesso, a pequenada adorou e protegemos os sobrado novo de riscos durante o bailarico. Sempre assim foi, o trabalho mais árduo é o mais apeciado.
Como animação e distraír um pouco, projectou-se o filme de Casegas em 1975, Procissão dos Bêbados e Chorar do Entrudo sem som claro, a ideia não era mostrar o precioso documentário, mas sim animar o salão.
Nos bastidores é breciso bulir!
A malta d´habitude estava animada

quinta-feira, janeiro 03, 2008

Velha Gaiteira na Irlanda

(clique para aumentar)
Obrigado pelas palavras de apreço companheiros!
Aqui vos presto também a minha homenagem, à melhor banda da região e arredores, os "Velha Gaiteira!"
Alentejo e Ribatejo este mês! Contem connosco! Até os paralelos saltam na calçada!

Meter ou não meter na gaveta o socialismo

Chavez perdeu o referendo, pela margem mínima e aceitou a derrota.
Aliás, todas as eleições na Venezuela são certificadas por observadores internacionais.
Mas todos nós assistimos e continuaremos a assistir na nossa comunicação social a ataques permanentes contra ele como se fora um ditador.
Segundo "espertos" cá deste país, Chavez é um ditador porque se pretendia perpetuar no Poder.
Perpetuar como? Sem eleições?

Afinal o que propunha Chavez sobre a eleição presidencial no referendo?

Que o presidente da República da Venezuela pudesse candidatar-se à reeleição e em plena igualdade com todos os demais candidatos, sem limitação do número de mandatos.
Chavez ou qualquer outro que fosse o chefe de estado teria sempre de competir em eleições nos períodos já constitucionalmente estabelecidos.

Este princípio já existe em muitos países do mundo. Porque é que os patrões da nossa comunicação social só dizem que Chavez se pretende perpetuar?

Na vizinha Colômbia, o presidente Uribe pretende fazer uma reforma idêntica. Alguém diz o mesmo dele?

Aaahhh!!! Pois, pois…Mas Uribe é amigo intimo de Bush e governa apoiado nos narcotraficantes…logo, um «democrata" para os donos da nossa comunicação.

E na Europa?

Por exemplo, na Alemanha e na Itália os presidentes da república são eleitos pelos partidos do parlamento (com uma ou duas câmaras) e não por sufrágio directo do povo. Quem concentra o máximo poder é o primeiro ministro que pode ser reeleito as vezes que entender.
Nas monarquias europeias ainda é pior.
Os reis e seus descendentes são "eternos" e quem manda, os primeiros ministros, podem ser reeleitos permanentemente.

Então, qual a diferença???

É que o Chavez diz-se socialista como muitos outros mas, ao contrário deles, não há maneira de meter o socialismo na gaveta…
E isso os patrões da nossa alta finança que são donos das TV's , jornais e rádios não perdoam

Agora Imaginem apenas por exercício de raciocínio, que daqui a uns tempos, o Chavez apresentava uma proposta de nova reforma constitucional como na Europa fizeram à Constituição rejeitada e se lembrava de a aprovar no parlamento, o que diria a nossa comunicação social?
DITADOR!!!

Mas não é isso que se está a pretender fazer na Europa?

Lembram-se do referendo em França à constituição europeia em que os franceses disseram Não?
Nessa altura o actual presidente da republica francesa, Sarkosy, que era ministro do interior de Chirac, disse que aceitava a decisão universal dos franceses.

Que diz agora Sarkosy?
Com medo de perder de novo em referendo, defende acérrimamente a aprovação do tratado constitucional no parlamento.
E agora, que dizem os nossos patrões?
«DEMOCRACIA!»

E em Portugal? Como se fazem as alterações constitucionais?

Para além das várias alterações constitucionais sempre decididas por PS
e PSD juntos no parlamento, já houve alterações constitucionais por motivos
internacionais, como adesão à U.E., tratado de Maastricht, adesão à moeda
única, adesão ao Tribunal Penal internacional.
Consultas por referendo popular como fizeram outros povos, nem vê-los, apesar de insistentemente pedidas.
Agora chegou o tratado constitucional europeu.
O PS deu-se ao trabalho de prometer um referendo no programa eleitoral pelo qual foi eleito em 2005.
Agora Sócrates e a elite que manda no PS querem que seja aprovado no parlamento.

Claro, Sócrates é de confiança para a alta finança que domina o país e os "media".
Se fosse o Chavez a fazer exactamente isso…era arrasado como sendo um ditador.

Não sou apoiante do Hugo Chavez mas...

Porque No Vos Callais de Vez Faslos Democratas,Pseudo Socialistas e Partidos do Centrão!!Já que Sois os Responsáveis da Desgraça Mundial?‏