Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Cornudos voltam à carga (parte II)!

Pois é amiguinhos, desta vez as
vitimas foram os “marrecos” que Leonel Craveiro tem a amabilidade de trazer de vez em quando para o parque de lazer de Casegas para beneficio comum, sem quaisquer interesses. Mas pelos vistos quem exerce este tipo de voluntariado ou presta serviços sem qualquer interesse ou cobrança, tem de pagar a factura à empresa Cornudo&Filho-da-Puta Lda”.

Tinha o Leonel trazido mais um GANSO anteontem que foi amarrado com a uma corda durante três dias para que o bicho ali se ambientasse...era para ser soltado amanhã. O bovino desta vez marrou com as aves, resolveu cortar a corda e roubar o bicho!

Filhos da puta! Que par de cornos têm!

Queria dizer ao usurpador, besta, cabrão, cornudo por excelência, e outros nomes que não lhe chamo somente porque não me ocorrem de momento, que se não lhe assenta a classificação e adjectivação bem simpática que lhe atribuo(modéstia aparte), tem sempre a hipótese de reclamar junto à minha malcriadíssima pessoa, ou junto do Leonel Craveiro, que manda dizer a Vossa Ex.ª senhor ranhoso da subclasse em vias de expansão dos “bardamerdaseternamentecontratudoqmexe-ou-voa”, que caso pretenda mais aves, mais raras que a merda que o senhor é, lhe poupa o gamanço e “serviço”, pois tem mais em sua posse e terá todo o gosto em fornecer-lhas.

Sem mais de momento.

PS: Atenção que este post na sua essência, pretende realçar o calão e a linguagem

popular, o resto não existiu, estava só a brincar com os puritanos…mas a ave não está na ribeira e a corda está cortada! Deve ter sido impressão minha…!

Epah, Será que inventei esta história toda e estou louco? Tenho de ver disto! Não sei se me confesso se me interno no centro de saúde mental! Que baralhada!

2 comentários:

Anónimo disse...

era ata-los a eles a corda e manda-los a ribeira abaixo

Bordal da vaje do chão da velha disse...

Da outra vez foi o pedófilo k lá andou a roubar os ovos.
kem foi a ave rara agora?
Nessa terra não pode haver nada!