Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, abril 23, 2008

ABRIL AINDA VALE UM POEMA ! ...

Sobre o caminho que temos trilhado, que continua de dor e sempre dolente para grande parte dos portugueses, convirá dizer que Portugal vivendo-se como se tem vivido não tem sabido transformar o sonho sonhado de Abril, em acção e missão de cumprimento. Apesar de tudo, apesar do cepticismo que hoje se vive, nem tudo está ainda perdido, e como diz Batista Bastos « ainda resta uma esperança: NÓS».

AFINAL,
Que fizemos da esperança?
Será paixão sem lembrança?
Os cravos vermelhos de Abril,
Foram enfeite na ponta do fuzil?

AFINAL,
Onde está do ZECA a canção?
Perante as teologias do cifrão,
Não foi a promessa desmentida?
Onde as manhãs claras da vida?

AFINAL,
Onde está a grandeza de Portugal?
Jaz morta no oceano profundo,
Na rota que GAMA abriu ao mundo?

Há séculos nascido de lança viril,
Levanta-te, caminha e luta PORTUGAL
A liberdade e a esperança são de ABRIL ! ...

Setubal, 25 de Abril de 2001
j.c. pacheco alves

5 comentários:

Natacha disse...

Na vida há dois tipos de pessoas: as roxas e as cor-de-rosa.
As roxas são pessimistas, derrotistas, conformistas, sem esperança. Vêem o mundo a preto e branco.Acham que a solução de todos os problemas está sempre nos outros. Os outros são os culpados de tudo, e os roxos são as vítimas de tudo.

As cor-de-rosa, por seu lado, são optimistas, inconformadas, e com uma esperança activa. São as que arregaçam as mangas e têm ideiais e lutam por eles.Têm esperança e lutam por realizar no dia a dia os seus ideiais.
Para os cor-de-rosa o impossível é possível. E conseguir o impossível não nenhuma utopia. O impossível é possível, na medida em que cada um de nós o tornar menor.
Se cada um de nós lutar um pouco, com esperança, acreditando que o impossível é possível, então seremos todos cor-de-rosa e teremos transformado o mundo num mundo melhor.

Que tal arregaçar as mangas e deixar o roxo de lado? Eu sou cor-de-rosa (e não estou a falar de cor política).
Eu sou cor-de-rosa porque tenho uma esperança activa.
Sou cor-de-rosa.
Cor-de-rosa é cor de primavera, de esperança e de Abril.
Sejamos cor-de-rosa, e transformemos os roxos com as nossas atitudes.

Vá lá de arregaçar as mangas...
Ñatacha
E um grande abraço para o Zé Carlos...

manjedoura disse...

Um abraço Zé Carlos! Boas lutas!
E se quiseres um prato de feijões já sabes, é apareceres amanhã!
Anda que fazes cá falta!
25 de Abril SEMPRE E CADA VEZ MAIS!

Egas disse...

Preocupa-me este país! Só posso estrar preocupado! O espírito do 25 de Abril começa a diluir-se e chegar ao cúmulo de Salazar conseguir ser eleito "democraticamente" como o melhor português de sempre são motivos mais do que suficientes para estar preocupado.

Preocupa-me que a liberdade seja esquecida. Preocupa-me o crescente destaque dado a uma cambada de ignóbeis de extrema direita. Preocupa-me que os partidos politizem o 25 de Abril, desde os desde os comunistas que se julgam os fiéis e únicos defensores do 25 de Abril (e que até se dão ao direito de apupar alguns dos heróis de Abril!), às falanges de direita que no seu jogo de fachada tentam usurpar-se de algo que não fizeram e que nitidamente não lhes conveio.

No meio disto tudo é de aplaudir a atitude do Ministério da Educação que pretende reformular o ensino do 25 de Abril nas escolas, por forma a torná-lo mais vivo e real na memória dos jovens. Mas só isso não chega! É preciso mudar urgentemente a forma como vemos a nossa sociedade e como queremos viver as conquistas de Abril.

Comer uma boa de uma feijoada para comemorar o 25 de Abril é bom... mas não chega. É o sentimento que importa. E esse começa a perder-se!

Que as flores de Abril nunca percam o seu perfume... LIBERDADE SEMPRE!

...outra na ferradura disse...

A mim preocupam-me os chulos do PS e do PSD que sugam o país que nem os vampiros do Zeca, já há 30 anos, não são os comunistas e os Skinheads! Isso sim é preocupante!
Isso sim é preciso mudar,a merda e o cheiro!

ZÉ CARLOS disse...

Caros Amigos:

Quero deixar-vos aqui uma mensagem de esperança ... Apesar do regredir em que vive o nosso país, temos de continuar a resistir ... desistir nunca. Jamais poderei esquecer-vos, sei que tenho muitos e bons amigos em CASEGAS. Para mim foi aqui que aprendi a ser e fundamentalmente a resistir às contrariedades do dia a dia. O vento bate hoje forte na oliveira, pode vergastá-la, mas continua a resistir.
Obrigado ASNO por me teres lembrado. Um ABRAÇO para todos.

Do TONHO, filho de outro TONHO, o TONHO ALVES