Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, maio 16, 2008

Entenderam bem porque é que existem listas de espera???

Em 6 dias operou tanto como 5 médicos!!! num ano e por metade do preço cobrado na privada.

Em seis dias, um oftalmologista espanhol realizou 234 cirurgias a doentes com cataratas no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, num processo que está a "indignar" a Ordem dos Médicos. Os preços praticados são altamente concorrenciais, tendo sido esta a solução encontrada pelo hospital para combater a lista de espera. O paciente mais antigo já aguardava desde Janeiro de 2007, tendo
ultrapassado o prazo limite de espera de uma cirurgia. No ano passado chegaram a existir 616 novas propostas cirúrgicas em espera naquela unidade de saúde. Os sete especialistas do serviço realizaram apenas 359 operações em 2007 (cerca de 50 por médico num ano). No final do
ano passado, a lista de espera era de 384, e foi entretanto reduzida a 50 com a intervenção do médico espanhol.

A passagem pelo Barreiro durante o mês de Março - onde garante regressar nos próximos dois anos, embora o hospital não confirme. Foi a segunda experiência em Portugal do oftalmologista José Antonio Lillo.
Bravo, detentor de duas clínicas na Extremadura espanhola - em Dom Benito (Badajoz) e Mérida. Entre 2000 e 2003 já havia realizado 1500 operações no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, indiferente às "críticas" de que diz ter sido alvo dos colegas portugueses. "Eu percebo a preocupação deles e sei porque há listas de espera tão grandes em Portugal. É que por cada operação no privado cobram cerca de dois mil euros", diz ao DN o oftalmologista espanhol, inscrito na Ordem dos Médicos portuguesa, que cobrou 900 euros por cada operação realizada no Barreiro.

As 234 cirurgias realizadas no Barreiro, por um total de 210 mil euros, foi o limite possível sem haver necessidade de abrir concurso público internacional, sendo que o médico fez deslocar a sua equipa e ainda o microscópio e o facoemulsificador. O hospital disponibilizou somente um enfermeiro para prestar apoio.

HÁ QUE ACABAR COM A CHULAGEM DA ORDEM DOS MÉDICOS, BAIXAR AS MÉDIAS DE MEDICINA E ABRIR NOVAS FACULDADES. ASSIM ACABA-SE A MAMA DESTA CAMBADA DE PARASITAS

Luís Carvalho (Lyonnais aka Abrantes)

2 comentários:

Asno disse...

Para serem operados às cataratas, quatro munícipes de Aljezur partem esta sexta-feira para Cuba levados pela autarquia local, à semelhança do que já tinha feito a câmara de Vila Real de S. António.

As quatro pessoas têm entre os 49 e os 75 anos, uma das quais estava à espera de uma operação há 15 anos nas filas do Serviço Nacional de Saúde, disse o presidente da autarquia de Aljezur, Manuel Marreiros, à agência Lusa.

O autarca socialista vai acompanhar este primeiro grupo a Havana. Os pacientes ficam duas semanas na ilha das Caraíbas, acompanhados em permanência por um sociólogo da autarquia.

Manuel Marreiros sublinha que a ideia do acordo com Cuba surgiu de uma conversa informal que manteve há menos de um ano com um responsável dos serviços médicos cubanos, durante uma cerimónia que decorria em Faro.

Além destes primeiros quatro pacientes, há pelo menos mais uma dezena de inscritos. Com todas as despesas associadas, cada munícipe custa de 1300 euros à autarquia, mais 900 euros pela viagem de ida e volta.

No entanto, salienta Manuel Marreiros, o preço (1300 euros) é o mesmo se o munícipe precisar de duas, em vez de uma cirurgia. Para o edil vale a pena porque cá, justifica, só a operação custa 2000 euros.

Além de Aljezur e Vila Real de Santo António (que já levou 150 pessoas a Cuba), também Castro Marim e Alcoutim fizeram protocolos com o Estado cubano, mas nenhum destes municípios enviou ainda qualquer paciente à terra de Fidel Castro.

"Região Sul"

Em pelo que se consta, mais barato que se fosse numa clinica privada portuesa, o que aumenta a vergonha!
11:53 sexta-feira, 09 maio 2008

Anónimo disse...

O autarca de Vila Real de S. António espera para ver. Na próxima semana tem uma reunião agendada com o ministério da Saúde mas, para já, alegra-se com a medida do Governo.

«Sempre que nós possamos verificar que, com estas medidas, se consegue dar uma resposta com a eficácia, e a dignidade que as pessoas precisam, nós não precisamos de nos socorrer de outros países ou iniciativas», salienta.

Luís Gomes, autarca do PSD, explica que levou os seus munícipes a Cuba porque o Serviço Nacional de Saúde não dava resposta e os orçamentos apresentados pelas clínicas privadas eram superiores. E mostra-se espantado com as declarações do Bastonário da Ordem dos Médicos.

«Fiquei absolutamente escandalizado quando o bastonário da Ordem dos Médicos não teve a dignidade e faltou a verdade quando diz que os preços que estamos a pagar são duas vezes mais elevados do que os das clínicas privas, o que é falso», salienta.

A Câmara de Vila Real de S. António Levou até Cuba 150 pessoas, Algumas já em último recurso. «Havia pessoas que estavam há cinco, seis e 10 anos a espera de uma intervenção cirúrgica, e foram muito bem gastos», salienta.

Com o novo programa de combate às listas de espera as viagens para Cuba vão ficar em espera, a aguardar que, a partir de agora, os doentes sejam rapidamente atendidos.

( 14:53 / 16 de Maio 08 )

Fonte: TSF online