Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, outubro 15, 2008

A Europa que temos

União Europeia

Depois da Angela Merkel ter vindo dizer que os políticos europeus deviam pegar numa "Mala de Ferramentas" para cuidar da crise, os lideres europeus resolveram o assunto fazendo cada governo colocar à disposição da Banca a módica quantia de vinte mil milhões de Euros. Esta é a demonstração clara de que na alta finança o crime compensa e que os estados estão reféns dessa mesma alta finança. Quem perde, perdemos todos que vemos o dinheiro dos nossos impostos a serem utilizados para salvar os ladrões, enquanto as vitimas, todos nós, temos de pagar para os safar. Pena é que só haja dinheiro para salvar esta gente e nunca quando ele é necessário para criar empregos, para acabar com a pobreza e a miséria. A crise só é de falta de dinheiro quando atinge os mais pobres porque para os mais ricos nunca falta.

KAOS

1 comentário:

Anónimo disse...

o que é ou gerou a crise americana? segue breve relato económico para leigo entender...
É assim:
O Ti Joaquim tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide que vai vender copos "fiados"aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose do tintol e da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito).
O gerente do banco do Ti Joaquim, um ousado administrador formado em curso muito reconhecido, decide que o livrinho das dívidas da tasca constitui, afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o "fiado" dos pinguços como garantia.
Uns seis executivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO , CC D, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrónimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.
Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (os tais livrinhos das dívidas do Ti Joaquim).
Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, (os tais activos tóxicos) com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.
Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e a tasca do Ti Joaquim vai à falência.
E toda a cadeia se lixou.
Viu... é muito simples...!!!