Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, dezembro 24, 2007

O Natal é a festa da familia de quem?

Mensagem de Natal:

Celebrarei o Natal quando deixar de ser a festa da hipocrisia, do consumismo e quando for festejado todos os dias do ano POR TODOS. Enquanto a hotelaria e restauração for PRIVADA de usufruir dessas festas junto das suas famílias; enquanto uns gastem rios de dinheiro nos hiper-mercados e outros durmam na rua; enquanto as televisões só mostrarem a pobreza que vai no país na quadra natalícia e durante o ano só mostre rosas, contarão sempre com o meu manifesto neste espaço:

CONTRA A DESIGUALDADE E A HIPOCRISIA!
NATAL SIM, SE FOR PARA TODOS!

Deixo os votos do melhor natal possível aos hoteleiros e a quem dorme na rua.

Rui Jorge Bernardo Costa

9 comentários:

BILL disse...

Eu sou daqueles q festejo o natal...faço-o pq tenho a minha familia, com quem posso estar e passar este dia festivo (às vezes, pq nem sempre consigo passar) pq, é bom o convivio familiar tb.
Mas é vedade estou completamente de acordo contigo.O natal é de facto 1 época de hipocrisia pq nem todos podem tê-lo...é só nesta é poca q se lembram as desgraças q há neste país e por esse mundo fora, no resto do ano ninguém se lembra da existência desses problemas todos...é injusto.Natal hoje principalmente significa consumismo, mto dinheiro para as grandes superficies comerciais e ñ só à custa de mta gente q faz sacrificios para satisfazer outros (oportunidade de enriquecer mais "LUCRO"),quando quase metade da população mundial passa fome...o natal deveria ser igualdade e oportunidade para todos, isso sim é NATAL.

Egas disse...

Sempre a queixar-se este Manjedoura...

Então e os polícias, médicos, enfermeiros, bombeiros, padres, a malta da ASAE (que deve andar por aí a vigiar as couvadas!), e é claro a rapaziada dos presépios (vacas e asnos nomeadamente!)....
Já para não falar no Velho das Barbas que não pára a noite inteira.

De qualquer forma, os meus votos de Bom Natal!

Manjedoura disse...

Mas achas por ventura que não tenho razão em queixar-me?
Ovelhita era o restaurante e muita gente o é, eu de longe o sou ou serei enquanto tiver olhos na cara.
Nem acho piada nenhum ao tom jocoso com que falas de médicos, enfermeiros e bombeiros que estão de serviço nestas épocas porque têm mesmo que estar comparando-os com outro tipo intrujões, uns por vontade própria, outros por vontade de camelos.
Nem a hotelaria é um serviço de primeira necessidade ou urgência(OU ACHAS QUE SIM?).
Fazes lá tu ideia de quantos fins-de-semana, natais, feriados, páscoas, etc., passam os hoteleiros a trabalhar enquanto tu estás no sofá a ver televisão junto da tua família a comer couvada e perú ou pipocas no sofá?

Olha, já que estás tão beato:
"Muitas graças a deus e poucas graças com deus"
Amain!Que o pai tá côxo!

Visitante disse...

Eu percebo o que o Egas quis dizer...
Não me parece também que estivesse com tom jocoso. Quis apenas fazer valer a ideia de que os profissionais da hotelaria não são os únicos sacrificados no Natal.

Independentemente de serem profissões "de primeira necessidade" ou não, a verdade é que não passam o Natal em família! E esse é o ponto, certo?

Bom Natal

Manjedoura disse...

O ponto é o que está escrito no post, nem mais, nem menos. Aliás,vários pontos...Certissimo?
Se são sacrificados (os da hotelaria pelo menos, é sem necessidade), conformismos dispenso e quando está mal, diz-se em vez de se tentar desculpar o não desculpável.
E se isto não é jocoso...bem...então estamos conversados...É mirandês o vizinho?

Sempre a queixar-se este vizinho...

Egas disse...

De facto, não acho que tenhas grande razão.
Não posso negar que muitas são as pessoas que por necessidade se vêem atiradas para uma profissão que nunca pretenderam. Porém, tal não deixa de ser uma opção, uma opção que essas pessoas tomaram. Logo, uma vez feita essa opção, há que assumir as responsabilidades da profissão que desempenham, sejam médicos, polícias ou bombeiros.

E o mesmo se aplica aos profissionais de hotelaria, se bem que neste caso exista a tal atenuante de não ser uma profissão de primeira necessidade. Atenuante porque, não sendo uma profissão de primeira necessidade, aqueles que a desempenham não são necessariamente forçados a trabalhar nas datas que referes. E não é menos verdade que muitos optam por laborar nesses dias porque recebem muito mais que a remuneração de um dia normal de trabalho.

De qualquer forma, julgo que o dia de Natal também é um momento de pausa para a grande maioria dos profissionais de hotelaria, já que muitos estabelecimentos encerram no dia 25. Contudo tens razão, o mesmo já não se aplica no dia 31 de Dezembro. Mas não será porque trabalhar na passagem de ano significa um grande acréscimo no volume de negócios?

De qualquer forma não percebo a que propósito trazes o Ovelhita ao barulho, já que ninguém falou nisso.
Mas já que o trouxeste ao barulho pergunto: costumavas encerrar o Ovelhita nas datas que referiste e davas folga aos teus funcionários? Ou aproveitavas também para fazer mais negócio?

Não pretendi ser jocoso nem ofender-te Rui. Apenas quis expor a minha opinião e apresentar os leitores do nosso blog uma outra perspectiva.

Já agora, pelo que vi na televisão as "meninas da noite" também trabalham no dia de Natal! Tinha-me esquecido delas!!

carroça disse...

O espírito de Natal há muito que se perdeu...Hoje,impera o consumismo desenfreado. Poucos são os que se preocupam com aqueles que pouco ou nada têm.
Partilha, solidariedade, afecto, amizade, tolerância...são conceitos que muitos desconhecem.Todos alegam não ter Tempo.A vida é uma correria louca entre o ter e o ser."Já não há sentimentos..."
Muitos por força das circunstâncias, outros voluntariamente, passam o Natal longe das suas Famílias, mas, como em tudo na vida, nem sempre é como desejamos.Resta a esperança que para a próxima será melhor.

Anónimo disse...

Não te sabia tão conhecedor da legislação hoteleira! Estupefacto!

Marco o facto de nesses dias na hotelaria só trabalhar quem quer, é ignorância tua e absolutamente falso. Só trabalhas se quiseres ou não trabalhas de todo, essa é a alternativa,("o tás mal muda-te ou até te empurro"), até te digo mais, é uma falta injustificada, porque assim o estabelece o contracto colectivo da hotelaria, seja do norte, seja do centro, do sul ou portarias de extensão (que por acaso até já negociei, infelizmente sem sucesso a essa parte, por falta de escrúpulos dos "caramelos" da ARESP, que para quem não sabe, é a associação que me representa empresarialmente actualmente em matéria de negociação com o Sind. Hot. Centro). Não, não é o Sócrates que dá os aumentos, como dá bombons à função publica em "pontes" na passagem de ano, porque anda descontentes. Não, na hotelaria tem de se lutar para se conseguir as coisas.

E sim, o meu restaurante encerrava nessas datas, reparei desde muito novo, apesar de ter sido criado em volta de padres e em casa de gente de direita, que as outras pessoas também têm umbigo e que o meu nariz é tão empinado quanto o dos outros, aliás, o meu até nem é muito empinado porque o "tó maneta" da Relvas, que era gordo que eu sei lá, uma vez caíu-me em cima na escola e esmagou-me no chão.

Respeito muito o trabalho e quem trabalha, coisa que muito camelo não faz. Sempre vi a relação laboral como uma prestação de serviço em troca de uma remuneração, eu preciso de mão de obra e as pessoas precisam de ganhar dinheiro para si e para os seus (só!). Nunca um colaborador da minha empresas me tratou por patrão e tenho orgulho nisso!Sempre os ajudei e eles sempre me ajudaram e respeitaram.

E se te ajudar mais a elucidar-te definitivamente da minha solidariedade, sentido de justiça e socialismo, também te digo que cheguei a fechar o restaurante e a fazer greve com o meu pessoal incitado por mim próprio como sempre me manifestei publicamente pelos direitos dos trabalhadores ou pelo trabalho com dignidade e quem não o faz é porque tem telhados de vidro ou anda a "alambazar-se".

Só tenho uma cara e não sou oportunista como muito pseudo-socialista que por aí anda. Sei donde vim, quem sou e para onde vou, sem ter necessidade de explorar ninguém e não passei fome por encerrar nesses dias! Como vês...mais uma vez enganado...!Mais? Número de telemóvel do meu pessoal?
Espero ter respondido teu dilema de me aproveitar ou não.

Não sabias que era assim?
É o mundo...é uma porcaria, mas é mesmo assim.Nós é que fingimos que não vemos, a mente humana é perversa, voluntária ou involuntariamente o humano é o animal mais selvagem e egoísta que há face da terra e vai-te habituando, porque as viagens à lua ainda estão muito caras.

E já sabes, que quando quiseres saber algo acerca da verdadeira realidade da hotelaria ou mundo laboral, para teu enriquecimento cultural, sabes bem que eu sou um livro aberto, penso que disso ninguém tem dúvidas...digo eu...

Manjedoura disse...

Esqueci-me de assinar o comentário anterior.
Desejo desde já um melhor ano novo a todos uma vez que este deve ser o ultimo comentário deste ano!
Tratar do petisco para a malta!!!