Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, agosto 31, 2009

Uma Barbie com caroço



Já não sou um jovem, mas acredito muito na juventude de hoje. Sei que são diferentes daquilo que eu era quando tinha a idade deles, sei que no meu tempo éramos mais “revolucionários”, mais “contestatários”, mais “hippies”, mas também os tempos eram outros e o mundo tecnológico em que vivem hoje pouco ou nada se compara ao que vivi noutros tempos. Eu envelheci a ver a tecnologia nascer e crescer, eles já nasceram no meio dela. Uma coisa é certa, quem diz que "Só como cerejas quando a minha empregada tira os caroços por mim. E uvas sem grainhas. É uma trabalheira", não pode ser mandatária para a juventude de um partido que tem socialista no nome. Quando o Engenheiro “Ken”, numa jogada “à Berlusconi”, escolheu a Carolina Patrocínio para mandatária devia tê-la avisado para só sorrir e abanar a “peidinha” ao passar para os jornalistas, mas nunca abrira a boca. Quem diz que tem uma criada para lhe tirar os caroços das cerejas e as grainhas das uvas, porque dá uma enorme trabalheira, não pode acabar a dizer que não gosta de perder, que "prefere fazer batota a perder”. Batota é o que tudo isto é, das notícias às eleições, de Boliqueime a São Bento. Quando permitimos que gente desta se torne no rosto de uma juventude, atingimos o fundo da degradação moral e social de um país.

KAOS


Que otária..
não podiam escolher melhor!

Sem comentários: